sábado, 6 de outubro de 2007

Desneure-se!

(...) Vamos aos fatos: o mundo é habitado por pessoas geniais, pessoas não tão geniais, pessoas engraçadas, pessoas insossas, pessoas lindas, pessoas nem tanto, etc. Claro, você pode ser nem tanto, mas despertar a atenção do indivíduo X, que cismou cm você e se encantou com seus traços, apesar de eles serem nem tanto, como falei. Mas aí estaremos falando de atração, amor, paixão e outros temas que não vêm ao caso (ainda bem, porque não sei falar deles). Enfim: vivemos nesse mundo caótico ed iverso onde tem de tudo e mais um pouco e alguns seres são mais bonitos que os outros, mesmo. Certo, você pode alegar que as opiniões são diferentes, que tudo é muito subjeitov, que o que é bonito para um é feio para outro e blábláblá. Mas é óbvio que há belezas mais unânimes que outras (por motivos culturais, históricos, genéticos, whatever) e que tem gente que é irritante de linda, mesmo. E daí? Não há nada de deprimente nisso. Deprimente é supervalorizar esse fato e sofrer em vez de comer chocolate, ler, ir ao cinema, etc. (...) Há coisas que dependem de nossas ações e coisas que não dependem. Para que encanar com coisas que você não pode mudar? Claro, até certo ponto você pode mudar sua imagem - até certo ponto, frisando. Então, vamos melhorar o que PODE ser melhorado e para de reclamar daquilo que não pode. Tipo: vamos pentear o cabelo. Caprichar na maquiagem. Não usar uma roupa zoada. Afinal, sempre, seeeempre tem alguém que vai achar a gente o máximo. E não custa aumentar essas chances. Mas sem neuras, pelo amor de Deus!